18 de abril de 2011


Vou fazer um samba pra contar,
a dor da madrugada que sem fim,
entra adentro do meu peito e faz chorar
as histórias repartidas sobre mim.
É a dona madrugada,
que traz fome de viver,
traz jeitos de entender,
traz tudo o que organiza e,
o que atrapalha pra valer. (!)
Ai, madrugada...
Ai, madrugada...
Leva longe essa saudade,
dos encontros puros de paixão...
Dessas almas grandiosas,
de vida e de doação
.
Pra que bagunçar um coração?
Pra dar mais emoção?
Pra pulsar na multidão?
Pra sambar sem restrição?

... Ou só pra sonhar um sonho bom?

Madrugada é flor de lis.
Suas cenas, inquietações, vontades, birutices e chateações...
... Só me trazem, na verdade:

- é cheiro de vontade de ser feliz.

~~~~~~~

"Flor de lis, não vai dizer..."


Marina Cruz

É Psicóloga por formação, Educadora por vocação e Falartista por opção.

2 comentários

  1. Ficou ótimo...deu até para imaginar as batidas...rs

    []s

  2. rsrs... Obrigada, Rafael!
    É sempre um prazer tê-lo aqui... sambando, falarteando! rsrs
    Abraços!