4 de julho de 2009
Conheci uma menina pequena, que acostumada a viver de frente com contradições, posta numa felicidade insuportável, não conseguiu ir pra frente nem pra trás.
A felicidade pra ela pareceu algo a que realmente temer.
E ela se viu, pela primeira vez na vida, humanamente frágil e estranhamente feliz.
Por vezes, relutou... Por outras tantas achou tudo irreal.
"E quando tudo acabar?" - Ela repetia pra mim incansavelmente.
Então eu dizia: "Mas porquê, porquê tudo tem que acabar?"
Balbuciando, ela dizia: "É tudo muito inconstante..."

----------
"Pequena, quando tudo acabar... Vai restar você e, tudo o que quiser te acompanhar".



Marina Cruz

É Psicóloga por formação, Educadora por vocação e Falartista por opção.

1 comentários

  1. Twilight says:

    Emocionante é a palavra!
    Amo isso aqui Má!
    Beijos linda!