7 de outubro de 2013


Muitos intérpretes e compositores se inspiram em obras literárias para fazer suas músicas. Aqui compartilho cinco (das minhas preferidas) canções baseadas em livros. Escolhi estas por gostar muito das obras e/ou das bandas. Espero que gostem!

5. Lord of the Rings - BLIND GUARDIAN



Esta música da banda alemã BLIND GUARDIAN foi baseada no livro "O Senhor dos Anéis" (pt) escrito pelo escritorprofessor e filólogo britânico J. R. R. Tolkien. Esta é a obra da minha vida e essa canção marcou minha adolescência... Memória afetiva total! Cada vez que ouço recordo das batalhas, da narrativa, enfim... Épico.

VIVA LOTR!  
Album: Tales From the Twilight World (1990)
Obra: Lord of the Rings (J. R. R. Tolkien, 1954)

Ouça:

________________________________________________________________________________

4. Sobre as folhas (Ou O Barão nas árvores) - CORDEL DO FOGO ENCANTADO

A banda pernambucana se inspirou na história de de Cosme Chuvasco de Rondó - o filho primogênito do barão de Rondó que, em 15 de junho de 1767 revolta-se contra seus pais e sobe às árvores, para de lá nunca mais descer. É desse livro a clássica frase: "aquele que pretende observar bem a terra deve manter a necessária distância".
"Trecho da música:
Contarei a história do barão
Que comia na mesa com seu pai
Era herdeiro primeiro dos currais
Mas gritou num jantar
"Não quero nada! Nada!"
Nesse dia subiu num grande galho
Nunca mais o barão pisou na terra
[...]
Soube nessa madrugada do homem
Que não quis os minérios do pai
E não quis os segredos farpados da mãe
Subiu numa planta, no alto da pedra
Bem perto daqui,
E ficou por lá."

Album: Transfiguração (2006)
Obra: O Barão nas Árvores (Ítalo Calvino, 1957)
Ouça:


________________________________________________________________________________
3. Moon over Bourbon Street - STING

Sting se inspirou no livro "Entrevista com o Vampiro" para compor essa música. O livro inicia-se com um jovem repórter entrevistando Louis, e este conta sobre sua vida antes de se tornar vampiro, como se transformou, como conheceu Lestat, a vampira Cláudia e Armand. Fala também de suas viagens e reflete sobre vários assuntos como a imortalidade.

Album: The Dream of the Blue Turtles (1985)
Obra: Interview with the Vampire (Anne Rice, 1976)
Ouça:


________________________________________________________________________________

2. A revolta dos Dândis I - ENGENHEIROS DO HAWAII
















A banda Engenheiros do Hawaii tem em suas músicas diversas referências e significados. Poderia ser feita uma lista somente com as suas inspirações literárias e suas letras profundas. Essa é minha banda favorita, por isso os primeiros lugares ficam pra ela! rs
Essa música, do álbum homônino de 1987, é inspirada no livro "O Estrangeiro" de Camus. O romance conta a história de um narrador personagem, Meursault, um homem vivente que então comete um assassinato e é julgado por esse ato. Durante a narrativa, o personagem - sendo um homem indiferente - reconhece a indiferença do mundo.

"Hoje mamãe morreu. Ou talvez ontem, não sei. Recebi um telegrama do asilo: 'Mãe morta. Enterro amanhã. Sinceros sentimentos.' Isso não quer dizer nada. Talvez tenha sido ontem." (parágrafo inicial)

Essa indiferença é retratada na música:
"Eu me sinto um estrangeiro
Passageiro de algum trem
Que não passa por aqui
Que não passa de ilusão..."


Álbum: A Revolta dos Dândis (1987)
Obra: O Estrangeiro (Albert Camus, 1942)
Ouça:


________________________________________________________________________________

1. Dom Quixote - ENGENHEIROS DO HAWAII














O protagonista da obra é Dom Quixote, um pequeno fidalgo castelhano que perdeu a razão por muita leitura de romances de cavalaria e pretende imitar seus heróis preferidos. Engenheiros do Hawaii fizeram a música, destacando-se:
"Muito prazer me chamam de otário
Por amor às causas perdidas.
Tudo bem, até pode ser
Que os dragões sejam moinhos de vento
Tudo bem, seja o que for
Seja por amor às causas perdidas"


As vezes também me sinto assim... Lutando por causas antigas, perdidas, gastas, mas continuo lutando mesmo assim.
Álbum: Dançando no campo minado (2003)
Obra: Don Quijote de la Mancha (Miguel de Cervantes y Saavedra, 1605).
Ouça:


Esta foi a minha seleção! 

Marina Cruz

É Psicóloga por formação, Educadora por vocação e Falartista por opção.

2 comentários

  1. Murilo Lima says:

    Muito legal! A música move as pessoas, achei o máximo você ter incluido Blind Guardian, marcou demais uma época da minha vida também. Aliás, LOTR marca até hoje, toda vez que leio aprendo algo de novo com os personagens, com o mestre...
    (Não desmerecendo os outros, Mas Tolkien é Tolkien!)

  2. Verdade... Tolkien é Tolkien, mestre absoluto. rs