11 de fevereiro de 2009
. . .
é como se as coisas que vivemos
tivessem nos trazido até aqui,
e nossa história tivesse regado pequenas semente-sensações,
que hoje brotam e hão de brotar. . .
Sim. . . não somos apresentados a cada momento,
mas os reconhecemos logo de cara
numa semelhança fina com os nossos íntimos sonhos.
.
. .
. . .

Marina Cruz

É Psicóloga por formação, Educadora por vocação e Falartista por opção.

0 comentários