29 de junho de 2008
Então, quando me dá cinco minutos
E eu quero tratar de mand ar
Estabeleço certas coisas:
Mando a palavra rim ar,
e abusada, defronta cara-a-cara.
Mando a poesia cal ar.
Ela cutuca até se fazer pronta
e falante, a tagarel ar...
Mando então, com esperanças
A cor mais viva, se apag ar.
Ela vem, arco-íris
terra, céu, fogo e m ar.
Aí, só pra ser chata,
desisti de tentar mand ar.
Pra dar liberdade pra tudo isso,
E sem querer, eu rimei.
(susto)

Marina Cruz

É Psicóloga por formação, Educadora por vocação e Falartista por opção.

1 comentários